Horário ou anti-horário? Para que lado eu giro?

Sofro de uma angústia terrível com uma prática muito comum da bruxaria e da Wicca aqui no Brasil, com a qual, pessoalmente, não consigo ficar em paz ou entender.

Estou ruminando essa série de postagens há anos, porque minha angústia com o assunto é visceral e sei que vou propor aqui é um desafio à forma de pensar e praticar, mas não deveria ser.

Tendo tido a maior parte do meu treinamento e experiência mágicos no hemisfério norte, tudo fazia sentido natural. Girava-se e lançava-se um círculo no sentido horário (do sol) e o Ar ficava ao Leste, Fogo, ao Sul, Água ao Oeste e Terra, ao Norte. Bem como na maioria dos livros.

Bom, se entendemos que a bruxaria e o neopaganismo têm raízes nas práticas e tradições indígenas da Europa pré-cristã, faz sentido que a maior parte da literatura a respeito dessas tradições nos chegue desse continente e também dos EUA e Canadá que, por terem sido colonizados por ingleses, partilharam de muito do conhecimento oculto que foi escarafunchado, praticado e difundido na época vitoriana.

Certo.

Mas e como ficamos nós, bruxos que praticamos essas técnicas e religiosidade no hemisfério onde tudo fica ao contrário? Sim, porque não são apenas os rituais sazonais que ficam invertidos, (enquanto meus irmãos em Chicago se preparam para celebrar o outono, a gente aqui está chegando na primavera. E quando eles forem dar boas vindas ao inverno em dezembro, estarei suando em bicas com o verão), mas a maioria das correntes energéticas flui ao contrário, não só pelo efeito coriolis, observável nos vórtices de água e muitas vezes na descarga do vaso sanitário, mas pela própria direção na qual se move o sol.

Nosso sol sempre vai nascer ao leste e se pôr no oeste. Fato. Porém, contudo, todavia, entretanto, o percurso do ângulo que ele usa para chegar de um lado a outro é oposto dependendo do hemisfério no qual a gente se encontra.  Se você não estiver exatamente no Equador, ou no grau 22º (Sul no solstício de verão do hemisfério sul, e Norte, no do norte) o sol não passa exatamente a pino por cima da sua cabeça, mas tende à uma inclinação para o horizonte – quanto mais longe do equador você estiver, mais óbvia essa inclinação e mais baixa).

A regra é: o sol sempre vai fazer o percurso de leste a oeste pendendo para a direção da linha do equador. Portanto, se você mora no hemisfério norte, o sol vai rumar de leste a oeste passando pelo SUL. Dando a sensação daquilo que chamamos e conhecemos como “sentido horário”, que é o sentido do relógio – um apetrecho para medir o tempo inventado por europeus por que era o sentido que a sombra se movia no relógio de sol que eles usavam LÁ.

Agora, se você mora no hemisfério sul, o sol vai rumar de leste a oeste passando pelo NORTE. Dando a sensação do que chamamos e conhecemos como “sentido anti-horário”.

Qualquer arquiteto pode confirmar isso para você. Aqui no Brasil, se a gente quer uma casa bem iluminada, há que ter uma face norte com janelas. No Canadá, se suas janelas forem na face norte da casa, você não vê o sol nunca. Ponto final. Isso não é achismo, é astronomia e geografia.

Voltando à bruxaria, Pagãos adoram usar os termos antigos em gaélico ou saxão (baixo alemão antigo). Nessas línguas, que são tradição na Wicca e bastante usadas na bruxaria, usa-se as expressões Deosil e Widdershins para denotar as direções possíveis para lançarmos um círculo e nos movimentarmos nele.

Deosil quer dizer “sunwise” = na direção do sol (vem da mesma raiz do latim “dexter” – destro)

Widdershins quer dizer “lado contrário”.

Quando voltei dos EUA para o Brasil, não consegui praticar magia e fazer nenhum ritual por um bom tempo. Além da necessidade de me reambientar e readaptar, também não conseguia usar nada nórdico aqui, porque não fazia sentido no meu corpo e no meu trabalho mágico.

Minha religião é da terra, do chão, do lugar e do território onde estou. Minha magia também. Como bruxa, é assim que eu me entendo, eu me conecto com o planeta e suas forças naturais no local onde me encontro. Isso é mais forte do que qualquer ideia teórica pra mim.

Constatando que boa maioria dos bruxos brasileiros não arrisca fazer nada diferente do que dizem as bases nórdicas (de um sistema descoberto e convencionado porque funciona no local onde foram criados, no norte), fui em busca de outros bruxos de tradições nórdicas que trabalham e vivenciam essas tradições no sul – ou seja, australianos, sul-africanos e neozelandeses.

E… tá dá!!!! ELES INVERTEM TUDO.

Observe que eles são ingleses de origem e não tem o menor pudor em bagunçar o coreto. Eles não ficam cheios de nove horas ou de dedos para mexer e alterar ideias originárias de uma localidade outra, que claramente não se aplica ao ponto onde estão. Eles são da minha turma. 😉

Foi um alívio tremendo para mim. E algo que verifiquei não apenas em websites, mas livros escritos por bruxos australianos (sem contar os bruxos europeus que mencionam o tempo todo que no hemisfério sul as coisas são invertidas).

Então, se você é um buscador ou buscadora no Brasil, e não está contente em seguir uma regra apenas porque ela se insere em uma sólida egrégora estabelecida, mas quer mais é se conectar com as forças e correntes energéticas valorizando o ponto no planeta onde você trabalha e chama de casa, eu o convido a se juntar à turma que inverte a regra básica para adequar ao lugar que vive.

A direção para a qual a bruxa/bruxo/mago se move em um ritual é muito importante para o tipo de trabalho e energia que se busca, então a ideia é mover-se deosil, com o Sol (no caso brasileiro, anti-horário) para invocar, aumentar a energia, acrescer e entrar em contato com a potência da vida; e contra o Sol, (para nós, o horário), para banir, minguar a energia, encerrar um ritual, ou decrescer algo.

Seguindo esse mesmo sistema, algumas das correspondências de direções também se invertem, para manter a ordem fluída da energia e dos elementos, mas esse é assunto para outro post.

Encerro com a letra e um link para a belíssima canção da australiana Wendy Rule, que vem ainda com a observação entre parênteses. Traduções mais abaixo.

THE CIRCLE SONG ( Do álbum Wolf Sky)

The East the air the sword the mind

The gate that leaves the night behind

The North the sun the flame the fire

The gateway to our souls’ desire

The West the womb the water’s flow

The gateway to the world below

The South the star the silent Earth

The gateway to our souls’ rebirth

(This song casts circle in the Southern hemisphere.

For Northern hemisphere, switch Fire to South,

and Earth to North.)

“A canção do círculo

O Leste o ar a espada a mente

O portal que deixa a noite para trás

 O Norte o sol a chama o fogo

O portal para o desejo da nossa alma

O Oeste o ventre o fluxo d’água

O portal para o mundo abaixo

 O Sul a estrela a Terra silenciosa

O portal para o renascimento da alma

(Esta canção lança o círculo no Hemisfério Sul. Para o Hemisfério Norte, troque o fogo para o Sul e a terra para o Norte.)”

Anúncios

7 pensamentos sobre “Horário ou anti-horário? Para que lado eu giro?

  1. Elaine gama Rodrigues disse:

    Minha intuição sempre esteve certa! Obrigada pelo post, maravilhoso, compreensível, me ajudou MUITO
    Sou grata

  2. Carolita disse:

    Olá, querida. Adorei o post! Você chegou a fazer mais textos sobre esse tema? Me interessa muito, te agradeço se você fizer outros. Sobre as correspondências das direções, por exemplo… ;]
    Dei uma procurada por aqui, mas não encontrei mais. Beijos e super grata.

    • oi Carolita!!! Que legal que vc curtiu. Aqui no blog não escrevi mais sobre isso, mas eu escrevi um livro, que está com uma editora, onde falo sobre tudo isso com bastante profundidade. Fica de olho para quando sair, o tema é sobre os quatro elementos.

  3. carolitaborba disse:

    Olá, querida! Adorei seu post. Me identifico muito com essa visão. Porém me sinto uma bruxa ainda novata, estudo e pratico há uns três anos e sinto que ainda estou construindo minhas bases, a maior parte de forma solitária. Os rituais, sempre fiz ao contrário, de acordo com as nossas estações, mas adorei avançar um pouco mais, com essa sua colaboração, em relação as direções e sentidos. Eu intuía alguma coisa a esse respeito, mas realmente há uma escassez de material sobre esse assunto e não me sentia muito segura. Quero manter contato contigo, moça, poder trocar. Fiquei super contente de te ler. Super abraço! Me chamo Caroline, moro no RJ.

  4. Ari chan disse:

    Ola, bruxinha!
    Sou como você, sempre inverto as celebrações pq penso da mesma forma. Nao faz sentido comemorar o halloween em outubro, se aqui ele acontece em Março!
    Todas as energias se invertem em algum ponto… seria esse o sentido de que o ‘Vento é o portal do leste’? Rs
    Mas uma coisa me chamou atenção, achei seu blog pois briguei ainda hoje com meu marido a respeito disso, pq estava enraizado em mim que tudo que atrai deveria ser aberto em sentido horario, e ele insiste em fazer no anti. Estou devendo um pedido de desculpas a ele kkkkkkkk vou começar a inverter tambem o lado para o anti-horario p/ atração e vice-versa a partir de agora!
    Eu nunca observei essa inclinação nórtica do Sol, vc pode me esclarecer melhor? Ou mandar algumas fotos?
    Vou começar a estudar e observar para entender melhor como vc explicou….. outra coisa é que eu sempre disponho a água para o Leste, pois no Brasil a costa está nessa direção. O Oeste é o lugar da Terra, pois a nosso oeste fica o continente. Você contra-indica isso? Se puder responder eu agradeço!!!!
    Às vezes eu também coloco a terra para o Norte, para me lembrar as raízes nórdicas da minha tradição. Ah outra coisa, eu costumo voltar meus altares para o Leste, seguindo o Sol e a Velha Religião, ou para o Norte seguindo a Lua (aqui no hemisfério Sul). Você parece ter mais conhecimento, pode dizer o que pensa das minhas práticas? Gratidão.
    Outra coisa. A bruxaria não é de tradição nórdica “indígena”, pq os nórdicos eram muito avançados apesar de rústicos, e as pessoas tendem a usar o que vc falou para nos diminuir a simples ignorantes selvagens, então se puder evitar essa palavra, indígenas, pq nos chamam de antiquados e selvagens kkkkkkk
    Aguardo sua resposta!!!!!!!!
    Ari-Ceriddwen-chan
    Sou artista, escritora e poeta em tempo livre integral!
    Seu blog é fodaaaaaa
    Amei o nome
    Tá de Parabéns!!!!!
    E mais uma vez agradeço por ter acabado com as brigas aqui de casa kkkkkkk
    To indo lá fora ver o Sol huauahauha
    Nao deixe d comentar minhas práticas, me ajude a crescer!
    Onde vc mora? Estou em Curitiba. BEIJAOOO

    • oi Ari-Cerridwen, obrigada pelo seu comentário e elogios sobre o blog, fico feliz que esteja ajudando 🙂
      Corrigindo lá a primeira parte, o Halloween (ou Samhain) acontece aqui na véspera de maio, na última noite de abril.
      Sim para nós que vivemos no hemisfério sul, tudo que atrai deve girar anti-horário, pois é como nossa energia se coloca. Isso nem se discute entre os bruxos que moram na Austrália, por exemplo. No entanto, brasileiros se acham menos, têm a famosa síndrome do vira-latas, e acreditam que não podem mudar ou alterar as práticas que os europeus ou americanos publicaram. Só que a bruxaria é algo local, localizado, é uma religião da terra e por isso mesmo deve respeitar e se envolver com os ritmos naturais e os espíritos e forças de onde estamos.
      Não entendi sua pergunta sobre a inclinação nórdica do sol. Vc se refere a o sol passar pelo norte aqui pra nós no caminho do leste até o oeste? é isso mesmo. É só perguntar para qualquer arquiteto e ele te explica. Como vc mora em Curitiba, aproveite para observar isso. Ainda mais no inverno agora que o sol fica mais baixo. Qualquer pessoa que observe a natureza vê que o sol não vai a pino no inverno, só no verão., Ele pende portanto para um lado, no nosso caso, o norte. Use uma bússola.
      Tem gente que usa os elementos na direção de onde eles de fato se encontram, como você. Isso é ótimo. Eu não uso isso em casa porque gosto do sistema crescente que vai se criando na roda que gira (estou escrevendo um livro que sai ano que vem sobre isso tudo, compre o livro e tudo vai ficar muito claro). Mas eu não ousaria estar na beira do mar e dar de costas para o oceano para chamar a água.
      Em geral altares vão ao Leste ou Sul para nós. Sul sendo o lugar do frio e dos antepassados, de onde vem toda a memória.
      A bruxaria é de tradição indígena sim. Ela é basicamente xamânica nas suas práticas (não estou falando de neopaganismo, estou falando de bruxaria histórica) e tem muito em comum com as populações da Sibéria, do Ártico, dos Shinto do Japão… e ela nasceu nas práticas espirituais dos povos europeus nativos. Nativos europeus é uma ideia curiosa pra se pensar, mas eles existiram. Celtas e Vikings por exemplo vêm dessas populações indígenas nativas. Os americanos e europeus falam bem assim, e não há nada de diminuir. SOU SELVAGEM COM ORGULHO! ANTIQUADA COM ORGULHO. Afinal a bruxaria é muito antiga e muito antiquada e muito selvagem e herética. Viva!!!!!

Deixe uma resposta para Ari chan Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s