A chave da felicidade

O mês de outubro está terminando, e enquanto a Glamour do mês de novembro não chega às bancas para você conferir seu horóscopo preparado por esta que vos bloga, aviso que a matéria especial “E essa tal de felicidade”, que saiu na edição de outubro, segue valendo. Ali tem uma participação minha dando dicas para ajudar cada signo a encontrar sua chave para ser mais feliz.como ser mais feliz

Marés Lunares

Da mesma forma que a Lua afeta as águas, várias áreas da nossa vida também sofrem sua influência.

A vida no nosso planeta é em ciclos. O dia, com seus picos e vales energéticos, e o ano – com suas estações – são ciclos solares, e nossa civilização está muito habituada a se guiar pelo sol.

Porém os calendários mais antigos da humanidade tinham como referência o ciclo lunar, que orientava o cultivo da terra e os rituais celebrados por nossos ancestrais. A Igreja ainda hoje revela suas raízes pagãs calculando a data da Páscoa de acordo com a lua (primeiro domingo depois da lua cheia de primavera no hemisfério norte).

As fases de nosso satélite natural contavam a passagem do tempo, e há muitos registros de marcações feitas em ossos, além de inscrições em cavernas, datando de vinte a trinta mil anos atrás, as quais os antropólogos creem serem relacionadas às fases da lua.

As mulheres sempre foram associadas à lua porque o ciclo feminino mensal tem a mesma duração do lunar.  A palavra mês vem do latim mensis e é a origem do termo menstruação. Month (mês, em inglês), por sua vez, tem a mesma raiz indo-europeia de moon (lua) e atesta para a importância deste astro para os povos antigos.

Para entender melhor a ideia de maré nesse caso, vamos lembrar que as tradições de magia ocidental compreendem o universo como sendo substância em movimento.

Além no nível físico, estudado ad nauseum por nossa ciência terrena, as tradições ocidentais de mistério ou ocultismo consideram outros dois níveis mais elevados de substância:

Astral – energia sutil que se estende pelo espaço.  Os movimentos dos planetas do sistema solar têm efeito neste nível, causando marés energéticas e influenciando nossos sentimentos e pensamentos, que também pertencem ao plano astral. Essas influências são estudadas pela astrologia. Desde a renascença, já se frisa a importância de realizarmos uma magia ou ritual na hora mais propícia ditada pela astrologia.

Etérico – os planetas também exercem influência neste nível.  O oceano de éter que nos rodeia recebe o nome de akasha e tem suas próprias correntes, marés e ciclos de energia. A matéria aqui é descrita como um fluido sutil que a tudo permeia e em tudo flui.

A lua é senhora das marés etéricas da mesma forma que domina as físicas, e o ciclo de suas fases é muito potente não só para qualquer trabalho conduzido no etérico, mas como influência de tudo aquilo que se forma no etérico e que vai afetar o físico mais tarde.

Da mesma forma que sabemos que, se nadarmos a favor da correnteza, a gente chega mais rápido e mais fácil ao nosso destino, facilita muito nossa vida se, sempre que possível, adequarmos nossas atividades e projetos às correntes astrais e etéricas sob influencia dos planetas.

A lua então, nos seus 28 dias de ciclo, passa sete dias em cada uma de suas fases. Nesses 28, passa por todos os 12 signos do zodíaco, permanecendo em média 2,5 dias em cada um. Por se mover muito rápido, é fator determinante em ciclos humanos de curta duração, como o mês, a semana e o dia.

Seu movimento e sua luminosidade então (vistos da terra) seguem um ciclo de crescimento e auge, para depois desinflar e apagar-se no céu – e então recomeçar tudo de novo. Vale assinalar que apesar das fases serem as mesmas para ambos hemisférios, norte e sul, a impressão visual que se tem de cada hemisfério é oposta.

Símbolo da Deusa Tríplice, as fases da lua vistas pelo hemisfério norte aqui correspondem a: Crescente, Cheia e Minguante.

Símbolo da Deusa Tríplice, as fases da lua vistas pelo hemisfério norte aqui correspondem a: Crescente, Cheia e Minguante.

 Ela rege:

  •  Fertilidade (da concepção ao parto)
  • Nutrição (apetite, metabolismo, assimilação de nutrientes)
  • Água e líquidos (plantas, corpo humano). É bom conferir a lua antes de marcar cirurgias,algumas podem inibir ou aumentar a chance de inchaço, hemorragias e interferir na velocidade e qualidade da recuperação no pós-operatório. A lua cheia é a menos indicada para qualquer procedimento, e a minguante, a mais favorável.
  • Emoções: o maior impacto é no comportamento das massas, levando mais ou menos pessoas a eventos públicos, e o signo em que está vai ditar o tipo de “crowd” que o evento vai atrair.
  • Negócios: as flutuações do mercado financeiro e imobiliário.
  • Sono: quantidade, qualidade e tranquilidade do sono.

Sem entrar em detalhes, a regra geral daquilo que é favorecido pelas fases da lua é a seguinte:

NOVA: processos para dentro

CRESCENTE: processos para fora

CHEIA: intensificar curas, plena de prazer

MINGUANTE: curas profundas

Pensando em termos de fase e signo… você arriscaria um palpite de qual seria a melhor lua para:

a)fazer uma poção para se livrar de todo o mal?

b)reconciliar-se com um amigo?

c)começar sua obra prima da literatura?

d)fazer uma viagem no tempo?

Lua e Estrela

Apesar de a lua já parecer plenamente cheia no céu desde ontem à noite, hoje é o dia oficial dela.  Este mês ainda teremos uma segunda lua cheia no último dia de agosto, a chamada Lua Azul.

Esta lua ainda por cima coincidiu com o festival de Imbolc no hemisfério sul e Lughnassad, no norte. Para nós, um tempo bem no meio do inverno, quando começamos a sentir uma tênue mudança na energia, um acordar da natureza rumo à primavera. Isso era sempre mais claro para mim no hemifério norte, quando em fevereiro eu via as primeiras plantinhas corajosas tentando brotar ainda junto com a neve. No lado sul,  onde quase tudo permanece verde (graças aos deuses!), é mais fácil percebermos as influências astrológicas e o aumento gradual das horas do dia.

Lua cheia em Aquário

Os egípcios sabiam que a ascensão da estrela Sirius coincidia com a esperada cheia do rio Nilo. O rio sempre transbordava durante o ciclo da lua cheia de Aquário. O símbolo do  zodíaco é um homem com um jarro d´água nas mãos, imagem que se assemelha ao hieróglifo que representava o Nilo: um homem andrógino (Hapy) derramando jarros de água.

Essa imagem também lembra muito o arcano XVII no Tarot, a Estrela.

Seria coincidência? A artista Julie Cuccia-Watts acha que não e por isso mesmo ilustrou a Estrela de seu Maat Tarot com Hapy, o deus do rio Nilo.

The Star from the Maat Tarot, by Julie Cuccia-Watts.

A interpretação tradicional da carta tem a ver com sincronicidade, quando tudo se encaixa no lugar certo; quando as coisas parecem fluir  melhor do que o esperado, como se um dedinho divino tocasse os eventos humanos.

Uma lua cheia sempre é boa para atrair público para eventos grandes e para enxergarmos situações com clareza, porém também há uma tendência a sermos mais emocionais e reativos em tudo, então fique atento para evitar situações de conflito.

A lua cheia em Aquário tende a exacerbar esse desejo de socializar e dá vontade de experimentar lugares novos, receitas novas, filmes alternativos, enfim, qualquer coisa que saia da rotina. É mais propícia para reunir amigos do que para encontros íntimos. Na hora de sair, evite depender de carona, pois há uma necessidade maior de liberdade e cada um fazer as coisas do seu jeito.

Com a criatividade e desejo de experimentar em alta, quem costuma ser muito rígido e controlado pode encontrar justamente a oportunidade de cometer uma pequena extravagância ou arriscar algo fora do comum.

No entanto, se olharmos pelos aspectos astrológicos essa lua traz um período de confusão em estradas e aeroportos com o aumento no volume de gente viajando (ainda por cima com Mercúrio ainda retrógrado), o clima se manifesta fora do padrão e aumenta o risco de chuvas fortes e enchentes em vários lugares do planeta, e debates e encontros políticos trazem resultados confusos – o que não é um bom presságio para o começo do julgamento do mensalão em Brasília. Para nossa sorte, o Sol faz um sêxtil com Júpiter  o que facilita interações sociais e deixa todo mundo mais positivo.

Quem sabe a Estrela está olhando por nós, after all.