Carga da Deusa Sekhmet

Petrucia Finkler, 2012

Eu sou a Toda Poderosa, chamada à existência por meu pai, para vingá-lo.

Sa Sekhem Sahu de cabeça de leoa.

Sou filha de Ra, a Destruidora, a Dama Vermelha.

Sinta minha respiração no vento quente do deserto

e meu corpo no brilho intenso do Sol do meio-dia.

Eu carrego a sabedoria da violência e da destruição adequadas.

E embora possa curar qualquer chaga ou mal de corpo ou de alma,

minha maior dádiva está na proteção contra os inimigos, a injustiça e a peste.

Pois Eu sou a executora de Ma’at.

Eu sou a Grande Defensora e o Terror diante do qual os demônios tremem!

Minha chama purificadora clama por tua alma, para que se erga.

Pois eis que sou o instinto guerreiro que ferve em teu sangue

e a força inquestionável que caminha equilibrada entre a vida e a morte.

Que meu culto seja feito no coração que é puro e livre.

E permita que teu espírito se abra sem reservas,

pois nada pode ser ocultado do Olho de Ra.

Nem mesmo tua luxúria e tua alegria.

E se buscas conhecer-me, não me chame em vão;

Mas ergue tua taça e junte-se a mim em elegante embriaguez

Quando estiveres pronta a te entregar à tua vitalidade crua, à tua criatividade e a saciar teus sentidos.

Porque eis que, assim como Eu,

A paixão de meus filhos é de natureza tanto solar quanto feminina.

Eu sou vossa fonte e palavra de poder.

Adorado é meu nome.

Eu não vos consumo com meu fogo, eu lhes ofereço a luz.

***Esse texto foi escrito sob inspiração Divina em 2012. O original foi recebido em inglês, e Sekhmet pediu que fosse traduzido pela imensa carência de material sobre Ela na língua portuguesa. A Deusa e eu pedimos que seja usado com respeito nas atividades de devoção e invocação d’Ela. Se for reproduzido em outro lugar, que seja incluído o devido crédito de autoria.

Sekhmet do templo de Mut, em Luxor. Granito 1403-1365 AEC (Antes da Era Corrente)

Sekhmet do templo de Mut, em Luxor. Granito 1403-1365 AEC (Antes da Era Corrente)

Anúncios