Defesa energética básica – parte 2: CENTRAMENTO

Esta é a segunda parte de uma série de três posts.

O centramento acontece em geral junto ou ao mesmo tempo em que iniciamos o processo de aterramento através das visualizações ou da respiração. É a sensação de estarmos completos, dentro do nosso corpo, presentes por inteiro no local e na situação onde estamos. A mente está tranquila e nos sentimos focados, serenos. Para um exemplo oposto disso, é só falar com alguém que acaba de tentar fazer uma reclamação para sua companhia telefônica. Depois de tratar com qualquer atendente, dificilmente qualquer um de nós consegue permanecer centrado. Por isso, o centramento tem usos muito práticos também no dia a dia.

Essa presença conectada com o interior do corpo e o próprio self acontece naturalmente quando nos conectamos e movemos nossa consciência para o centro físico na barriga ou no plexo solar. Alguém treinado precisa às vezes apenas tomar consciência de seu umbigo, e o centramento acontece. Um exemplo de centramento confiante é a modelo na passarela, essa consciência corporal absoluta é o que permite que ela projete seu senso de self para fora.

O centramento nos dá autoconfiança, assertividade, firmeza e paz interior.

Experimente diferentes técnicas e veja o que funciona melhor para você, ou faça uma atrás da outra se a situação exigir!

Meditação da árvore cósmica

 Esta meditação é ótima e ajuda também aqueles que não sabem como ancorar e centrar sua energia com propriedade.

árvore linda no Caminhos de Pedra - Bento Gonçalves, RS

árvore linda no Caminhos de Pedra – Bento Gonçalves, RS

Feche os olhos relaxe o corpo e inspire em quatro tempos. Segure por quatro. Expire devagar, também em quatro tempos. Segure os pulmões vazios por outros quatro.  Imagine que você tem raízes que saem de seus pés ou da base de sua coluna e penetram o solo. Deixe que elas desçam, atravessando todos os espaços até chegarem ao solo fértil, de lá, seguem descendo e se expandindo. Sinta o pulsar da vida nas suas raízes, deixe que suas dificuldades, suas tristezas, seu nervosismo desça por suas raízes e entregue os para a terra, para que sejam transformados no centro do planeta, que é todo de lava derretida. Deixe que essas emoções sejam transformadas.

 Puxe um pouco dessa energia nutriz da Terra e também um pouco da de fogo, sinta-a viajando, passando pelas camadas de rocha, pela energia escura e confortável do solo, pelas fontes de água subterrâneas. Inspire esse fogo já bem abrandado, puxando-o para sua barriga, logo abaixo do umbigo, na área que é conhecida como hara ou tan-tien.

 Sinta-se  enraizado, firme, sólido, como uma árvore bem plantada na terra.

Agora volte sua atenção para os ramos que vão crescer a partir do sétimo chakra no topo de sua cabeça. Sinta que eles sobem mais e mais, atravessando o que for em direção ao centro do cosmos. Sobem além das nuvens, da atmosfera terrestre, vão em busca do fogo do céu, da energia solar, lunar, e estelar. Sinta essa imensidão cósmica, busque o centro da galáxia e puxe essa energia levemente dourada para baixo, pelos seus galhos, até que penetre em seu coração.

 Funda as duas energias, a da Terra com a do cosmos, misture-as, e deixe que a mistura preencha e energize seu corpo, inspire três vezes sentindo essa energização.

O mundo superior, o inferior e o médio estão todos aqui, agora, dentro de você.

Faça mais uma inspiração recolhendo a copa da árvore, e depois outra, recolhendo suas raízes de volta ao contêiner do seu corpo.

Quando estiver pronto, abra seus olhos.

Há outras técnicas, claro, por exemplo:

  • Meditação da cor – descubra qual a cor que você vibra e que lhe identifica. Em geral são tons pastéis esses que nos trazem o bem estar. Imagine essa cor vibrando e tomando seu corpo, começando pelos pés e vá subindo devagar, fazendo seu corpo inteiro vibrar nessa mesma cor, até o último fio de cabelo.
  • Meditação do eixo – esta técnica vem da dança moderna. Minha professora Nana Shineflug da Chicago Moving Company ensinava uma técnica para os bailarinos se prepararem para a dança, afinal bailarinos precisam estar mega centrados, pois consciência corporal é tudo no trabalho deles, não sei se ela sabia que a técnica tem usos mágicos, mas descobri que é um ótimo meio físico e muito imediato de alinhar todas as suas partes e seus corpos. Imagine no centro do seu corpo um eixo, como um bastão sólido que vai do topo da cabeça até os pés, passando pelo períneo. Sinta esse eixo. Agora sinta como se seu corpo inteiro “abraçasse”, apertasse esse eixo. Pronto.

No próximo post, a terceira e última parte desta sequência: técnicas de escudo energético.

 

Eu em uma floresta de cedros, no Atlas Médio, Marrocos.

Eu em uma floresta de cedros, no Atlas Médio, Marrocos.

Anúncios