Nós que aqui estamos…

Em outubro de 2017, tive a oportunidade de ir a Portugal para participar de um intensivão com o astrólogo Alan Oken. O curso era voltado para uma visão mais espiritual da astrologia, e, enquanto nos levava pelos ensinamentos dos planetas sob essa visão mais esotérica, Alan também nos levava por diferentes cidades daquele país. Foi assim que fui parar em Évora.

Embora haja toda uma mítica sobre a cidade e sua famosa bruxa, não achei nada de bruxaria por lá. Não estou dizendo que não tenha, estou apenas afirmando que não é visível aos olhos e nada fácil de encontrar pelo Google. Chega a ser estranho, pois nem loja mística consegui localizar.

Templo Romano, Évora

Meu desgosto em encontrar o Templo Romano em reforma

No entanto, a atmosfera não deixa de estar ali, e ela é antiga, muito antiga. Évora, que fica no Alentejo, guarda vestígios até hoje de seu passado pré-histórico (Cromeleque dos Almendres, que será tema de outro post), do domínio romano por que passou (vide o Templo Romano de Évora que no período da minha visita estava em restauração, buáaa!), do domínio visigótico e depois mouro,  antes de os cristãos tomarem conta.

20171025_103147

O antigo palácio da inquisição, agora transformado em centro cultural

 

Isso tudo está lá, e se mantém arqueológica e energeticamente nas camadas que compõem o solo da cidade. E como é que se dorme em cima de tudo isso? Muito mal! A energia do centro antigo é super convulsa, foi um alívio sair de lá. Sem contar que fiquei hospedada bem perto do antigo palácio da inquisição! Ai meus deuses!

Uma das visitas mais impactantes é a Capela dos Ossos, que fica na Igreja de São Francisco.

Foi construída no século XVII por iniciativa dos frades franciscanos que queriam ali criar um espaço de meditação sobre a mortalidade e a transitoriedade da vida. O espaço antes já era uma sala de reflexão, e o local realmente não é tão grande, cerca de 200 m2, mas a visão e a experiência são marcantes.

20171025_141700O ambiente é escuro, tem pouca luz natural e algum auxílio de lâmpadas instaladas estrategicamente. Nas paredes e revestindo as colunas, estão cuidadosamente colocadas ossadas e cerca de 5000 caveiras humanas. A abóbada tem pinturas que aludem à morte. Mesmo com um tema tão mórbido, o conjunto é de uma beleza poética ímpar e tem sobre os visitantes o efeito que almejavam os frades.

 

Os ossos ali vêm de 42 cemitérios que existiam na cidade no século XVI, e é difícil não lembrar do arcano XIII do Tarô, a carta da Morte, que na sua amorosidade eterna nos colhe ao final do ciclo, igualando a todos. Ela é a democracia em si, não diferencia ninguém, e dela ninguém escapa, nem reis, nem sacerdotes, nem mendigos. É ela quem nos torna verdadeiramente humanos e nos faz valorizar a jornada.

20171025_141211Ao chegarmos somos saudados com o aviso: “Nós ossos que aqui estamos, pelos vossos esperamos”. E é isso mesmo. Um dia todos chegaremos lá, não na capela de Évora, mas nossa fragilidade física será vencida na nossa hora, e seremos devolvidos e reduzidos aos minerais que nos compõem. E cabe a nós, dentro dessa brevidade da vida humana, nos lembrarmos constantemente da preciosidade que é ter um corpo vivo que respira, pulsa e vibra.

Feliz Samhain!!!

 

Anúncios

A volta do Caldeirão!

Depois de um longo hiato para trabalhos de curas pessoais meus, estou de volta com uma nova edição do curso Ativando o Caldeirão de Poder Feminino. Como acredito firmemente que a gente só consegue levar as pessoas até onde a gente mesmo se aventurou a chegar, precisei me dar um tempo para eu ter o tempo de processar uma experiência muito nova na minha vida, e agora me sinto em condições de partilhar mais uma vez minhas descobertas e guiar vivências com uma nova turma.

Este é um curso ritualístico e vivencial, bastante intenso em seus processos que se propõe a despertar a magia feminina extática e espontânea nas nossas vidas, propor curas de autoestima, de dinâmicas de relações e de aceitar a mulher selvagem que habita em nós, a diva-feiticeira que escreve seu próprio destino.

Seguem as datas e as devidas informações. São três módulos, só poderá participar do Módulo II quem tiver completado o Módulo I, e assim por diante.

Ativando o caldeirão de poder: um curso de magia feminina baseada no valor pessoal e na sabedoria do corpo

 O verdadeiro caldeirão de toda a magia habita dentro de cada mulher: é o nosso ventre. O útero tem uma energia tão incrível que pode formar e gestar não apenas o milagre de uma vida humana, mas também nossos projetos, sonhos e relacionamentos. Despertando, honrando e nos conectando a essa energia tomamos o trono do poder das nossas vidas como verdadeiras imperatrizes que somos.

Este curso propõe vivências e ritos profundos para fazer este resgate e conexão, mudando sua energia de vida.
É dividido em três módulos que são uma construção. O primeiro é independente, mas é um pré-requisito para o segundo e assim por diante. Este é um convite para você despertar e viver sua energia em sua máxima potência. Vamos?

 Módulo 1: Uma mulher, quatro arquétipos: Entendendo os poderes secretos do nosso ciclo e das nossas fases; celebrando a sacralidade de nascer e viver mulher

 Nesse workshop vamos abordar um pouco das representações femininas sagradas ao longo da história, nos reconectar com nossa divindade interior,  reconhecer os talentos e energias de cada fase de nosso ciclo menstrual e cada fase da vida, despertar para nossa natureza verdadeira de força, amor e criatividade e firmar um compromisso ritualístico com ela.

 Alguns tópicos abordados:

* imagens de Deusas ancestrais e nossa reconexão com a Sacralidade Feminina   *o útero como centro de força e criação da nossa vida *entendendo nossa face Donzela, Mãe, Feiticeira e Anciã * mistérios do sangue: da menarca à menopausa * o ciclo menstrual, seus arquétipos e as fases da lua *cuidados naturais com o corpo; aromaterapia e ervas que auxiliam nas diferentes fases da mulher.

 Dia 16/06/18 No Laboratório Lunar – Rua Cayowaá 895, São Paulo

Das 10h às 18h com pausa para o almoço. Inclui coffee break e todos os materiais.

Investimento: 250,00

INSCREVA-SE  CLICANDO AQUI

BANNER _ 1

 Módulo 2: O casamento sagrado; fazendo as pazes com nossa sexualidade, recuperando o prazer, alquimia e magia sexual.

No segundo encontro, vamos tratar de nossa relação com o outro, em especial, com o masculino externo a nós, representado nos nossos parceiros sexuais e afetivos; as dinâmicas que se desenvolvem e que precisam ser curadas e acordando para as armadilhas sociais nas quais, muitas vezes, entramos de bom grado. Também vamos falar do grande poder da sexualidade e o que ocorre em níveis energéticos para a mulher no encontro íntimo, além da fundamental busca e redescoberta do prazer feminino para vivermos uma vida plena de força e alegria pessoal. Os rituais trabalhados serão de limpeza energética de nosso útero para libertação de padrões (e amarras) passados.

Data: 15 de setembro  Horário: das 10h às 18h    Local: no Laboratório Lunar

Módulo III: Reconhecendo a mulher selvagem, o poder da feiticeira sobre sua cura e seu destino.

Neste encontro caminhamos para o encerramento do ciclo, trabalhando curas familiares, reconhecendo nossos poderes e ferramentas pessoais como caminho para uma vida plena em conformidade com nossa força interior.

Data: 1/12/2018   Horário: das 10h às 18h    Local: no Laboratório Lunar

PETRUCIA FINKLER é astróloga, taróloga, Moon Mother iniciada por Miranda Gray, e praticante de bruxaria. Natural de Porto Alegre, desde 2001 trabalha com curas do feminino a partir de uma visão xamânica e energética. Depois foi morar no exterior e participou ativamente e também conduziu círculos de mulheres em Chicago, EUA, onde passou nove anos. De volta ao Brasil, radicada em São Paulo, entre 2012 e 2013 foi uma das facilitadoras da roda feminina Irmandade das Pedras em São Paulo e, em 2015, deu início ao curso Ativando o Caldeirão de Poder Feminino. Ela é palestrante convidada de diversos eventos místicos, faz atendimentos, mantém o blog Elemento Chão e ensina magia em seu Conclave da Rosa e do Espinho.

Astroterapia

Um tempo atrás, me dei conta que toda minha vida é dedicada ao aconselhamento. Comecei pequenininha, aos oito anos, lendo cartas para prever o futuro alheio. Aos 12, fui aprender sobre os Arcanos Maiores do Tarot e entendi que a coisa era muito mais profunda do que saber antecipadamente algo que virá a ocorrer. Aos 15, meu presente foi um baralho Thoth, do Aleister Crowley, depois de eu fazer dois cursos com o brasiliense Veet Vivarta em Porto Alegre, falando de arcanos maiores e menores, com uma abordagem bem psicológica voltada ao crescimento e evolução pessoal. Foi ali que comecei a aprender mais sobre luz e sombra, consciência e inconsciente. E assim fui seguindo, atendendo colegas de classe no corredor do colégio, amigas, amigas de meus pais, e, mais tarde, clientes mesmo.

Bem mais tarde, já depois da faculdade, fui estudar astrologia e, desde 2003, atendo clientes na preparação e análise de mapas astrológicos. A astrologia é outra ferramenta maravilhosa na busca do autoconhecimento e da autoaceitação, e acabou virando meu carro chefe de trabalho, dos atendimentos que mais adoro, ajudando o outro a se esmiuçar, se entender, a explorar seus potenciais e fazer mudanças que estejam mais alinhadas com seu Eu Maior, seu Self, seu Eu-Estelar, seu Si Mesmo. Ainda que essas mudanças sejam difíceis e arriscadas, e, tantas vezes forçadas por trânsitos planetários que dão os empurrões necessários para que a gente levante o bumbum do sofá.

Em todos esses anos fui me aprimorando com muitas leituras, muitos seminários e muita observação cuidadosa. Um autor que sempre me rondava era Carl G. Jung, um queridíssimo do pessoal místico, já que é um psiquiatra que desenvolveu técnicas de psicologia profunda que não só aceitam, como valorizam o lado espiritual humano, com todo seu misticismo, simbolismo e ferramentas simbólicas – como o tarot e a astrologia, por exemplo.

Ano passado comecei uma especialização em Psicoterapia Junguiana, que está sendo um estudo apaixonante, e já rende frutos… pois mexeu muito na forma como abordo o aconselhamento durante as consultas de astrologia e tarot.

Ainda não posso, a rigor, atender como psicoterapeuta junguiana, não tenho certificado para isso e preciso concluir o curso. Porém, há uma forma de atendimento terapêutico que me sinto plenamente apta a fazer e estou começando a me aventurar por ela: chama-se Astroterapia.

A Astroterapia é um estilo de atendimento que se vale do uso das informações contidas no mapa natal e os trânsitos celestes para auxiliar no processo psíquico de transformação pessoal para uma maior integração e realização do indivíduo rumo ao Self.

Carl G. Jung dizia que “com a astrologia, sabemos mais sobre psicologia”. Vários dos nós e grandes desafios que nos acompanham por toda a vida estão presentes já no mapa astrológico do nosso nascimento, e, durante o processo terapêutico, permite que seja mais fácil chegarmos nas questões centrais das grandes dores e compulsões que nos trazem sofrimento.

Durante a sessão, se fala pouco de astrologia, mas ela está lá, não apenas como suporte para orientar as discussões ou trazer questões à tona, mas também como uma grande ferramenta de autoconhecimento e aceitação amorosa de si mesmo, com suas falhas e qualidades, sua sombra e sua luz.

Os atendimento são semanais ou quinzenais e tem duração de uma hora. Podem ser presenciais ou via skype. Como estou começando, e preciso de cobaias que se aventurem nesse processo de mesclar a astrologia com o que já venho ganhando de entendimento do método junguiano, o valor da sessão está bastante convidativo.

Se você tem interesse, por favor, envie um email para petruciafinkler@gmail.com para conversarmos.

**Petrucia Finkler é graduada em Comunicação Social – Jornalismo pela UFRGS e está cursando pós-graduação em Psicoterapia Junguiana pelo IJEP em São Paulo. Dedica-se ao estudo da astrologia desde 1999, quando participou de turmas na escola Meio-do-Céu em Porto Alegre, com orientação da Tânia Rathman. Fez cursos com Clovis Peres e Diana Vergara no Brasil, e no decorrer dos nove anos que morou em Chicago nos EUA seguiu estudando de forma autodidata e participando dos congressos e seminários oferecidos pelo ISAR (International Society of Astrological Research), Sociedade da qual foi membro durante um período. Nesses eventos pôde conhecer uma série de grandes astrólogos mundiais que muito influenciaram sua forma de pensar e entender a astrologia. Mais recentemente, em 2017, participou de retiro de dez dias em Portugal com a condução de Alan Oken e Melanie Reinhart com a temática The Astrology of Conciousness, com forte enfoque nos estudos dos ciclos de Plutão e Netuno, além de Quíron e outros centauros asteroides ligados a profundas curas pessoais. Ela atende com interpretação de mapas astrológicos desde 2003 e sente que é o momento de combinar essas técnicas interpretativas com a psicologia profunda de Jung para poder auxiliar seus clientes a equacionarem e viverem suas cartas natais de forma mais plena e saudável.

labirinto

 

Eclipses para todo lado

Nos últimos meses, os eclipses ganharam espaço nas mídias sociais, mas muitos dos textos divulgados têm uma visão distorcida sobre esses fenômenos astronômicos. O que diz a astrologia sobre o efeito dos eclipses nas nossas vidas? E como entender magicamente a tensão que ocorre quando um astro encobre o outro?

Já falei disso antes aqui, mas agora segue um vídeo com várias explicações legais.

 

Datas dos próximos eclipses:
15/2/2018 Solar parcial 27 aquário
13/7/2018 Solar parcial 20 câncer
27/7/2018 Lunar total 4 aquário/ 4 leão
11/8/2018 Solar parcial 18 leão
6/1/2019 Solar parcial 15 capricórnio

Nova turma de formação mágica

Tenho sido muito procurada por pessoas que desejam estudar magia e bruxaria com uma orientação adequada. De fato, livros não bastam, é preciso prática; e prática com orientação específica, dentro de uma linha que a gente goste, com uma pessoa em quem confiamos, é algo muito proveitoso e acelera muito o progresso pessoal dentro de qualquer arte ou ofício.

Então é com muito carinho que apresento o currículo novo da Formação Mágica do Conclave da Rosa e do Espinho. O Conclave é um clã de bruxaria, ainda em formação, ainda se estabelecendo devagarinho, reunindo pessoas que passaram pela formação mágica que eu venho oferecendo desde 2015. A formação era mais complexa e ampla, reunindo várias áreas do saber, e poderia ser levada com o aluno para qualquer vertente que ele fosse explorar ou viver. Para a versão 3.0, mexi em muita coisa e deixei ainda mais prático e direto ao ponto no que diz respeito à Bruxaria Tradicional Moderna. Segue sendo uma formação bem completa, mas espacei de forma distinta e retirei conteúdos que vou oferecer em workshops e webinários a partir de abril. Com os webinários, pessoas de outras localidades vão poder ter acesso a vários conteúdos e práticas de aprofundamento, e alguns participantes da formação também podem optar em experimentar coisas diferentes e complementar os estudos com essas aulas extras.

A formação ficou mais curta, agora é de nove meses, mas a duração dos encontros é mais longa, para incluir mais práticas orientadas. E, ao final, ta-dá!, teremos uma formatura com um mega intensivo de práticas avançadas.

Para saber do currículo, horários, turmas, valores, e o que esperar, clique no formulário, tá tudo lá. Se tiver dúvida de algo que não estiver lá, me escreva.

Clique aqui para o formulário de declaração de interesse

Bênçãos luminosas para um ano brilhante para todos nós!

20140329_233356

Uma experiência muito especial de TradCraft no Brasil

Para os pagãos que curtem a vertente mais tradicional, Old Craft, com pegadas fortes de transe, xamanismo e “lore” (conhecimento passado por tradição oral), a vinda do Gede Parma é uma oportunidade maravilhosa de aprofundar mesmo suas técnicas e vivenciar um estilo de trabalho que tem pouca divulgação no Brasil.

O foco é em praticantes com cancha, que saibam muito bem usar de centramento e aterramento,  além de entrar, manter e sair de transe com controle de si e por vontade própria. Esses são os requisitos básicos. Fora isso, todos são bem vindos, venha você do xamanismo, do druidismo, da Wicca, da BT, da magia cigana… não importa. A ideia não é reforçar diferenças, é trabalhar técnicas que nos fortalecem e nos desenvolvem em nossa força.

Seguem os flyers, as informações para Rio (10 e 11/11) e São Paulo (16, 18 e 19/11) você encontra na página @GedeParmaBrazilTour e entrando em contato com o pessoal do Via Paganus (RJ) ou comigo, Petrucia Finkler para os cursos de São Paulo – informações nos banners abaixo.

As inscrições estão abertas, esperamos você!

gedeRJ

GedeSP

O grande eclipse de Agosto 2017 (para quem está nos Estados Unidos)

a_mach_eclipse_greateclipse_170803.today-inline-vid-featured-desktopEstá todo mundo falando do eclipse solar que vai acontecer em três dias. Sim, no dia 21 de agosto de 2017 teremos um eclipse solar total que poderá ser avistado em sua completude de oeste a leste dos Estados Unidos. Mas o que isso significa para a sua vida? Talvez nada.

O que é um eclipse?

Um eclipse solar acontece quando a silhueta da lua se interpõe entre a Terra e o sol, tapando a luminosidade deste. Claro que a lua é muito menor que o sol, porém, vista da Terra, quando se encaixa direitinho na frente do astro-rei, ela consegue tapar a luz do dia e, num eclipse total, tudo escurece por alguns minutos . Os passarinhos se atrapalham e voltam para seus ninhos, e os humanos de antigamente achavam que algum monstro havia engolido o globo de fogo que brilha sobre nós ou estava ocorrendo algum outro fenômeno sobrenatural que, em geral, trazia mau agouro e problemas para a tribo ou o reino.

Agora que sabemos calcular fenômenos astronômicos, temos a Nasa para monitorar tudo e a internet para divulgar trocentas bobagens em cima dos acontecimentos, a gente consegue prever quando teremos eclipses e, sendo assim, ninguém dos humanos se assusta mais.

Existem quatro tipos de eclipse solar, e eles sempre acontecem durante a fase da lua nova.

  • Total: quando a silhueta da lua obscurece o sol por completo, o último foi em março de 2016 (o último que eu vi assim foi no pátio da minha faculdade em Porto Alegre, não lembro o ano).
  • Anular: Quando sol e lua estão alinhadinhos com a Terra, mas a bola da lua não está tão grande a ponto de escurecer tudo, então a gente vê um anel de fogo no céu. O último foi agora em fevereiro de 2017, bem durante o carnaval, e podia ser avistado do Brasil. Do meu quintal, no entanto, não dava pra ver o anel perfeito, apenas uma “mordida” que tinha sumido do Sol.
  • Híbrido: de certos pontos da Terra é avistado como um eclipse total, de outras partes, se vê como anular.
  • Parcial: quando sol e lua não estão assim tão perfeitamente alinhados, e o efeito que se dá é que um pedaço do sol está faltando. Nada escurece (já que é preciso tapar 99% do sol para causar qualquer escuridão).

De todo modo, é importante saber que: TODOS OS ANOS TEMOS DE 2 A 5 ECLIPSES SOLARES ocorrendo e que podem ser avistados de algum lugar do planeta . O total é de, em média, 240 eclipses solares por século. É muito eclipse. Não é um evento raro, não é algo extasiante ou nunca visto.

Então por que tá todo mundo louco com esse eclipse de 21 de agosto? A resposta é simples: porque além de ser um eclipse total, ele pega toda a extensão dos Estados Unidos. O hype mundial é porque é um hype americano. Só. Ponto.

Os americanos compraram todos os “óculos para eclipse” à venda no mercado, estão viajando e hotéis estão lotados nas regiões que poderão avistar o eclipse na sua totalidade. Algo, que, inclusive, *todos* os sábios de antigamente aconselhariam negativamente. Pois se o eclipse é uma ocorrência nefasta, por que diabos alguém vai caçar o sol para avistar um?

O que torna este eclipse especial para os americanos é a mídia, martelando sem parar que desde 1918 eles não têm um eclipse solar total cuja sombra percorra o país de oeste a leste em toda sua largura, e que desde 1257 não acontece de um eclipse assim recair exclusivamente sobre solo americano (se bem que, claro, em 1257 aquilo lá era território indígena e tinha o nome que os nativos davam).

O outro grande motivo de alarde lá é que o eclipse vai se dar aos 28 graus de Leão, o que cai em cima, na tampa, cravado no ascendente do presidente americano Donald Trump. Mas, coincidentemente, também cai na tampa, cravadinho no *meu* ascendente, que descobri, é o mesmo do Trump. Buuuuu!!!!

Então com certeza para mim será um grande evento, e pro Trump também. Mas se o eclipse – não importa se é total, parcial ou anular – não for cair em cima do seu ascendente, sol, lua ou outro planeta importante no seu mapa astrológico (ou do mapa da sua cidade ou país),  a chance é enorme de que você não vá sentir o efeito.

Então parem com essas baboseiras de sites de que o eclipse anuncia uma nova era, que a super lua vai mudar o paradigma da existência humana, que os portais vão se abrir e uma nova consciência vai finalmente chegar, bla bla bla bla bla.  Ou algo mudou desde as 20 super luas que tivemos ano passado?

Não vamos botar a cargo dos astros aquilo que NÓS COMO SERES HUMANOS precisamos dar conta de fazer. O lixo e a atrapalhação são nossos, vamos parar de achar que alguma salvação vem de fora, vamos nós trabalhar para construir uma vida mais justa e harmônica, e cuidar do planeta antes que ela se livre de nós porque estamos causando muito estrago.

Mas, se cair em cima dos pontos importantes do meu mapa, que efeitos ele tem?

Para saber se este eclipse terá um efeito sobre você, uma pista é examinar o que rolou na tua vida no segundo semestre de 1998. Os eclipses têm um ciclo de mais ou menos 19 anos para pegar um mesmo ponto no céu. Em 22/8/1998 houve um eclipse anular no grau 28 do Leão.

Caso conheça seu mapa, examine então se ele vai tocar seu ascendente, lua ou sol, principalmente. Depois, veja em que casa vai cair. Isso sim será afetado, aquela área da sua vida estará propensa a grandes eventos, onde algo termina e algo novo se inicia.

Eclipses solares disparam nascimentos, casamentos, promoções, avanço incrível na carreira, contratos, viagem, venda ou compra de casa, cirurgias, perda de animais de estimação ou novo animal na casa, início de estudos, e por aí vai. Em geral tende a puxar o foco para áreas da vida que precisam de atenção ou mudança. Ele pode inspirar, motivar ou pressionar você na direção do que necessita.

Eclipses lunares (que acontecem durante a lua cheia) também têm efeitos, mas tendem a ser mais emocionais. O último, do dia 7/8 agora, trouxe à tona questões com amizades, por exemplo, já que tende a revelar o caráter das pessoas.

Se pegar teu signo ou teu ascendente, a tendência é de uma vida nova pela frente ou até um casamento (o que é uma vida nova pela frente).

Dito isso, astrologia é como um relógio. Para saber o que vai acontecer no mundo ou na nossa vida, é só observar as pistas nas ocorrências de quando aquilo se deu da última vez.

Os americanos estão torcendo que algo muito ruim aconteça ao Donald. Ok pode ser, mas pode ser bem o contrário. Pode ser que a vida nova dele seja sair da presidência, mas pode ser que algo se dê que favoreça aquele homem horrível.

O que me intriga é que em 1776, ano da independência dos EUA, houve um eclipse parcial (não era total e não caía sobre os EUA)  em agosto no grau 21 do Leão. Então dado isso, de que é próximo deste, e mais o fato de que cai sobre o ascendente do presidente, pode ser que algo novo surja no horizonte e mude o rumo da política da nação. Este também opõe no grau a lua dos EUA, ou seja, afeta o povo (que será ainda mais diretamente afetado no próximo eclipse, em 2018).

Ah, em tempo, os efeitos pessoais que um eclipse tem no nosso mapa tendem a durar até o próximo eclipse do mesmo tipo. Portanto, se este agora cair na sua casa 10, da carreira e reputação social, a pressão que você vai sentir para buscar reconhecimento, a garra e determinação e as chances de aumento de salário ou visibilidade duram até fevereiro de 2018, quando o eclipse solar parcial será aos 27 do aquário.

Sinceramente, fora da minha vida pessoal (e de todos que partilham do mesmo ascendente, haha), não espero grandes efeitos mundiais deste eclipse de agora – posso estar enganada claro –, estou seriamente preocupada é com o que vem em 6/1/2019. Com o tipo de conjunção que teremos no céu, nossa divisão social, nossa materialidade e nossos horrores podem chegar a um extremo nunca visto.

Vamos todos, por favor, nos engajar verdadeiramente em transformações e crescimento pessoal, em ativismo, em lutas por justiça e igualdade, em fazer bons atos, atos amorosos, que repercutam junto aos nossos próximos, para que a gente evite que algo assim aconteça.